Homem com H maiúsculo

Homem com H maiúsculo
Por que o homem é a maior obra de arte

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Bent: Use seu triângulo rosa!



Semana passada fui ao Teatro das Artes, no Shopping da Gávea, para conferir a mais nova adaptação de "Bent". Escrita por Martin Sherman em 1979, a peça conta a história da perseguição dos nazistas aos homossexuais durante o III Reich Alemão.



A trama da peça se passa antes da Segunda Guerra Mundial, logo após a Noite das Facas Longas (1934), quando os nazistas passam a perseguir severamente os homossexuais de toda a Alemanha, inclusive aqueles que eram filiados ao partido.



Max é um rapaz que vive com seu companheiro, o bailarino Rudy. Os dois se vêem, repentinamente, tendo que fugir de Berlim para escapar da perseguição nazista. Capturados, Max toma uma medida pouco ética: abandona Rudy a seu bel prazer e finge ser judeu, com medo de usar o terrível triângulo rosa em seu uniforme de prisioneiro. Os nazistas classificavam cada preso com um símbolo, uma forma pública de expor sua condição de suposta inferioridade. Max acha que o triângulo rosa, a marca dos presos por "homossexualismo" é a pior de todas e prefere a estrela amarela judia. Dentro do personagem há uma mistura de vergonha de sua sexualidade e instinto de sobrevivência: ele crê que tem mais chances de sobrevivência como judeu.



Já preso, conhece Horst, que não tem vergonha de usar e expor seu triângulo rosa. Horst mostra à Max que existe possibilidade de ter dignidade sem ter que negar-se a si mesmo. Mesmo quando a pressão social (e nessa caso ela foi extrema) está contra você.



E hoje? Usamos nossos triângulos rosas ou nos escondemos atrás das estrelas amarelas?




Um pedacinho da peça pra quem se interessou:

2 comentários: