Homem com H maiúsculo

Homem com H maiúsculo
Por que o homem é a maior obra de arte

sábado, 9 de abril de 2011

Vôlei Futuro X Cruzeiro: rivalidade e homofobia no esporte



Vi hoje de manhã um dos jogos de Voleibol mais emocionantes da minha curta vida. Por 3 sets a 2, e de virada, o Vôlei Futuro bateu o Cruzeiro e forçou uma nova partida de desempate em MG na próxima semana. Não que esse tenha sido o primeiro jogo emocionante e disputado que eu vi no voleibol brasileiro. É que esse tem um gosto especial para o público gay e para todos aqueles que abominam a discriminação. Na partida anterior entre os mesmos dois times, Michael, jogador do VF, foi duramente hostilizado pela torcida mineira. Era só ele pegar na bola e todos começavam a gritar "Bicha!", "Bicha!", "Bicha!". Michael, homossexual assumido, sentiu-se perseguido e, com ele, todo o time do VF e também sua torcida compraram a briga. 


Michael

A resposta foi duplamente aplicada em campo: vitória e show da torcida paulista e do time do jogador. Toda a equipe entrou para o jogo com camisetas rosas grafadas com o nome do meia de rede. O líbero da equipe, Mário Junior, não ficou de fora da homenagem ao seu companheiro e jogou com uma camiseta tingida pelas cores do arco-íris, símbolo do movimento LGBT. O público local presente também fez sua parte ao estender uma grande bandeira em homenagem ao jogador e utilizar "bate-bates" na cor rosa. Uma festa bonita e um ponto a favor do direito das minorias. 

Homenagem do líbero Mário Junior ao Movimento LGBT

Camiseta rosa em homenagem ao meia de rede

Não importa quem vai vencer a próxima partida, mas sim que a questão da homossexualidade no esporte chegou, finalmente, à mídia. Creio que todos devem se lembrar do jogador de vôlei Lilico. Por causa de sua homossexualidade, sofreu muito e não teve o menor apoio depois do fim de sua carreira. Morreu quase esquecido. Michael vive em novos tempos. São apenas pouco mais de 10 anos entre aquela época e hoje, uma prova do quanto o movimento gay, mesmo que timidamente, conseguiu muitas conquistas. A manifestação de apoio que ele recebeu não teria ocorrido anos atrás. E, mesmo hoje, jamais teria ocorrido no futebol. Em 2009 eu tive o desprazer de estar no jogo entre Flamengo e São Paulo pelo campeonato brasileiro. Ouvi coisas nojentas da torcida do Flamengo, meu próprio time. Mais do que xingar o jogador Richarlysson, vi pais incentivando filhos a baterem em homossexuais. Uma mãe, próxima de mim, disse pra filha que ele era gay por não ter sido surrado na infância. A menina, risonha, respondeu que uma surra com uma pedaço de maneira iria resolver e engatou o grito de "Veado!" que a massa fazia ressoar em uníssono pelo Maracanã.



Devido a uma cultura machista, o futebol é o esporte, talvez, que mais oferecerá resistência aos gritos de respeito e liberdade que vimos ecoar na partida de vôlei de hoje. Não podemos crer,  ingenuinamente, que a homofobia é cruzeirense. O nosso país, como um todo, que é. Talvez, se fosse ao contrário, se Michael jogasse no time mineiro, poderia ser a equipe paulista a gritar xingamentos homofóbicos. O buraco, portanto, é mais embaixo. Apoio sim uma punição contra a torcida do Cruzeiro. As câmeras podem levar a polícia a identificar os agressores. Poderia virar regra, a partir de agora, a punição por homofobia no vôlei e no esporte em geral. E, o melhor de tudo, a partir de agora, outros gays esportistas profissionais poderiam se sentir mais seguros para assumir sua orientação sexual. Vai nessa Diego Hipólito!


3 comentários:

  1. Vamos combater toda forma de preconceito.
    Os preconceitos são a razão dos imbecis.”(Voltaire)

    ResponderExcluir
  2. Ser preconceituoso é natural. Todo ser humano nutre algum tipo de preconceito. Agora, usar um orgão destinado para uma coisa em outra a qual não foi planejada para receber aquele orgão, pode ser chamado de natural?

    ResponderExcluir
  3. João, se for assim, não podemos usar celular, carro, avião, etc. Nada disso é natural.
    Além do mais, a maldade humana poderia ser chamada de natural. Sempre ocorreram furtos e assassinatos, desde que surgiram os primeiros homo sapiens. Quer dizer que, por isso, não devemos combater o furto e o homicídio?
    E mais: se tu acha que o sexo homossexual não pe natural por que "usa um órgão destinado para uma coisa em outra coisa q qual não foi planejada", o que dizer então do próprio beijo e do sexo oral? Por que chupar a língua do outro se a língua e aboca tem funções meramente digestivas e de paladar? E por que fazer sexo oral no(a) parceiro(a)? Não estaria ocorrendo um "erro", uma vez que se coloca a boca nos órgãos sexuais, que não são feitos para serem chupados?
    Creio, então, que você é a favor, única e exclusivamente, do sexo vaginal tradicional, sem preliminares e na posição papai e mamãe. O resto deve considerar tudo "anti-natural". :P

    ResponderExcluir