Homem com H maiúsculo

Homem com H maiúsculo
Por que o homem é a maior obra de arte

quarta-feira, 2 de março de 2011

Bruna surfistinha - agradável surpresa

 Verdadeira Bruna, ou melhor, Rachel
Desde que ouvi os primeiros rumores de que Deborah Secco faria um filme que conta a história real de uma prostituta, não levei muita fé de que poderia sair algo de bom daí. Mesmo assim topei a experiência e fui ao cinema. Tinha medo de que explorassem apenas o sexo, ou que, no sentido oposto, fizessem da história uma espécie de "Uma linda mulher", ou seja, um conto de fadas. Fiquei contente que não aconteceu nem um, nem outro caso. Rachel é uma menina de classe média que tem problemas familiares e sofre cyberbulling na escola. Resolve sair de casa e tentar a vida de puta. Por que? Bom, por que a prostituição lhe parece o tipo de liberdade que ela precisa. Nisso o filme já começa bom. Não há moralismos do tipo "viram só crianças, ela virou prostituta por que não tinha espaço em casa e nem na escola, ela é uma vítima". Rachel é apresentada como alguém que aspira à liberdade, que deseja autonomia acima de tudo e que é bem consciente das suas escolhas. 

Deborah Secco surpreende. Podemos ver a mudança de Rachel a Bruna nos seus três arcos (a estudante boba e ingênua, a prostitura inexperiente e a Bruna Surfistinha profissional) com bastante nitidez. Mais um ponto a favor do filme é a não glamourização da prostituição. Bruna pode ser uma espécie de heroína às avessas (do tipo que os jovens adoram), mas não há nada na tela que diga que essa vida é boa ou desejável. Há um preço a se pagar e ele pode ser bem caro. A cena em que ela vai parar num buraco se vendendo a preço de banana e com cara de drogada é bem interessante nesse sentido. 
 Deborah como Surfistinha
Tudo bem, não é nenhuma obra prima digna de um prêmio em Cannes, mas acho que é um filme comercial relevante e merece ser conferido. A censura é 16 anos, mas as cenas de sexo não são apelativas ou gratuitas. Boas interpretações, roteiro fechadinho e enredo legal. Sugiro que todos assistam e continuem ajudando o cinema brasileiro a crescer mais e se diversificar a cada dia.

7 comentários:

  1. Quero ver.Terei que esperar cair na net.Raramente,passa filme brasileiro aqui.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, como vc argumenta bem sobre os filmes.
    Um dia eu espero conseguir chegar lá. rsrss = ]
    Vi suas opiniões também em Cisne Negro e Eu Não Quero Voltar Sozinho e foram impecáveis.
    Parabéns, amigo!
    Já tô te seguindo e vou estar sempre por aqui.

    Abração!!

    P.S.: Ah, minha alma também canta, vejo o Rio de Janeiro e estou morrendo de saudade...

    ResponderExcluir
  3. Thiago !!! já disse tudo é isso ai assisti o filme,
    vale a pena conferir
    ABS

    ResponderExcluir
  4. Tiago, estou aqui porque recebi um selo no meu blog e preciso repassá-lo a outros blogs que sejam merecedores dele. O Prêmio Sunshine Award é um incentivo da blogosfera a blogs como o seu, que enriquecem o universo cultural através da internet.
    Sinta-se à vontade de ir lá e pegar seu selo.

    Abração, amigo!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Samuel, obrigado pelos elogios, fico lisonjeado e nem acho que meu blog tenha nada de especial. Muito obrigado pelo selo... mas oq faço para obtê-lo?

    ResponderExcluir
  6. Eu achei a verdadeira mais gostosa. E a Deborah mais bonita de rosto.

    ResponderExcluir
  7. fico loka com essa bruna surfistinha que H.O.R.R.O.R so mas eu m-n
    (eu estou proocurando blogs interessantes como o seu e fazendo comentarios) manden o msn que eu add

    ResponderExcluir