Homem com H maiúsculo

Homem com H maiúsculo
Por que o homem é a maior obra de arte

sábado, 29 de janeiro de 2011

O sexo da criança: que pedofilia que nada!

Olhem os pequeninos: será que na ânsia de protegê-los não estamos criando um mundo pior para nós e para eles também?









O jovem de 18 anos Wesley Almeida Campos foi preso por beijar um adolescente de 13 anos em um cinema de São Paulo. Os dois marcaram encontro pela internet e se consideravam "namorados". Acharam tão normal demonstrar carinho em público e sem ter vergonha de sua orientação sexual ou diferença de idade, o jovem casal trocou carícias singelas na frente de todos. Ao que parece, nem todo mundo achou esse gesto tão puro e inocente. O gerente do cinema chamou a polícia e os dois foram parar na delegacia. Mesmo depois que o depoimento dos dois demonstrou que o beijo foi um ato consentido, Wesley foi preso e enquadrado numa das leis mais ridículas e canhestras do nosso arcaico país: a nova lei de estupro, que diz que qualquer ato "libidinoso" praticado com menor de 14 anos é considerado estupro! Isso mesmo, o jovem Wesley, que apenas beijou o menino que gostava, talvez o primeiro beijo do pobre garoto, está sendo equiparado a um estuprador. Vou repetir: tocar os lábios de uma pessoa que você gosta com os seus próprios lábios, num gesto de carinho e proteção, está sendo comparado a um ato hediondo, que é violar e machucar o corpo de outra pessoa, contra sua vontade. Ouvimos muito de conservadores de plantão que o mundo de hoje inverteu todos os seus valores. Nessas horas sou obrigado a concordar: pegaram o beijo, o gesto mais bonito que existe no mundo depois do abraço, e o colocaram no banco dos réus, ao lado de atitudes sujas e asquerosas como o estupro e a violência. 
Isso ocorreu em Novembro de 2010 e o pobre rapaz, Wesley, continua preso esperando julgamento. Ontem, dia 28 de janeiro, ocorreu a condenação da professora de Matemática, Cristiane Teixeira Barreiras, de 33 anos, presa no dia 27 de outubro do ano passado, depois de acusada de manter relacionamento com uma aluna de 13 anos, foi condenada a 12 anos de prisão por estupro de vulnerável. Nesse caso, a menor chegou a declarar, no julgamento que "sentia grande amor pela acusada e pretendia com a mesma viver por toda a vida". O juiz, entretanto, disse que uma pessoa de 13 anos não tem capacidade de saber o que é amar. Os advogados da professora, por sua vez, pretendem recorrer, mas ela não poderá ficar em liberdade até o novo julgamento. 
Essas histórias colocaram a seguinte pergunta na minha cabeça: Já não está na hora de aceitarmos que crianças tem sexualidade? E que adolescentes não são seres imaculados e inocentes que são incapazes de escolher seus parceiros sexuais? 

Ora, não sou radical a ponto de achar que não deve existir uma lei que fixe uma idade mínima de consentimento para o ato sexual. Existem leis desse tipo para se tirar Carteira de Motorista e para votar, por exemplo. Com o sexo não deve ser diferente. Mas a sexualidade é uma área espinhosa e complexa. Envolve muitas questões éticas, morais e (infelizmente) religiosas. Nesse caso específico, creio que a idade limite deveria ser só uma norte, uma indicação, algo que nos oriente, mas sem rigidez. Esses dois menores de idade, ambos com 13 anos, realmente foram "estuprados" ou "abusados" como diz a lei e a justiça? Não vejo abuso algum. Se eu fosse ser mais descarado ainda, diria que, com meus 13 anos, adoraria ter tido um bonitão de 18 anos que estivesse aos meus pés. É tão comum sonhar com pessoas mais velhas na adolescência e infância. E é melhor ainda quando concretizamos esse sonho, mas são poucos que tem essa sorte. O engraçado é que quando envelhecemos, parece que nos esquecemos da criança sapeca que fomos, com sexualidade sim. Uma sexualidade meio infantil, é claro, mas sexualidade. Por que é tão difícil para alguns imaginar crianças com tesão? Ainda corroboramos com a visão retrógrada do sexo como sujo e a infância como pura e imaculada. 



Algumas pessoas podem estar achando que eu defendo a prática sexual à crianças de 3 anos de idade. Não disse isso. Apenas creio que a sexualidade existe desde a infância e que não se pode fingir o oposto. Alguns amadurecem mais cedo do que outros. E, aos 13 anos, creio que muitos (possivelmente a maioria) adolescentes já são sim capazes de escolher seu parceiro ou parceira sem que os mesmos sejam taxados de monstros estupradores.



No caso da professora, gostaria de fazer algumas ressalvas. Visto que ela era professora da menina, creio que assumiu um grande risco. Mas não vou atirar pedras, pois não faz o meu tipo. No caso dos dois meninos namorados, não há ressalva alguma: a prisão é um escândalo! Uma vergonha! A lei deveria sempre abrir a premissa de que caso o menor de 14 anos afirme categoricamente que o caso ocorreu com seu consentimento, um psicólogo ou assistente social deveria verificar a validade de sua afirmação. Em caso afirmativo, não tem por que condenar o maior de idade. Enquanto Wesley está preso desde novembro por dar um beijo, os assassinos de Alexandre Ivo, que foi morto por espancamento e estrangulamento só por ser gay, continuam em liberdade. Acreditem, o Brasil mantem pessoas presas por causa de um beijo e deixa livres assassinos frios e calculistas. Isso sim é inversão de valores, beijos são tidos como mais perigosos do que assassinatos com requintes de crueldade. 



Homofobia! Esse é o último ponto que queria discutir. Os dois casos apresentados aqui remetem à seguinte pergunta: será que se fossem casais heterossexuais, a reação teria sido a mesma? No caso da professora, é bem provável que se fosse um homem, a lei teria sido aplicada da mesma forma, mas com menor repercussão midiática. Mas não posso dizer o mesmo sobre Wesley e seu pequenino namorado. Convenhamos que relações entre menores de idade (idade inferior a 18 anos) e menores da idade de consentimento (com menos de 14 anos) e maiores não são muito incomuns no Brasil. É claro que causam estranheza em certos meios, mas raramente a coisa vai parar onde essa história parou. Vai ser difícil achar um homem ou mulher que foram presos por beijarem um menor, seja qual for seu sexo. Devo ressaltar, é claro, que sou contra a prisão mesmo nesses casos. 



Quero chamar a atenção para a realidade de que existem crianças gays e lésbicas. Elas são reais, sempre existiram, mas nunca se teve coragem para admitir isso. Esse menino e essa menina de 13 anos tiveram sua sexualidade exposta ao mundo de maneira abrupta! Eles precisam de amparo psicológico e apoio familiar, algo que nem sempre se tem. É mais provável (e espero que isso não ocorra) que os pais tentem "convertê-los" à heterossexualidade. Como se não bastasse essa exposição toda, ainda podem conviver com a dor da culpa, pois é natural que se achem culpados pela prisão e condenação de seus amantes. Essa sim é uma pena dura para se carregar, essa sim é a ameaça à sua formação como indivíduo e não o seu relacionamento sexual e afetivo com alguém mais velho.


Estou acompanhando e torcendo muito por Cristiane e Wesley. Ela, dificilmente, vai poder escapar da condenação, pois a lei entende que um superior em hierarquia (no caso professor) sempre abusa ao se relacionar com seu suborninado. Espero, pelo menos, que a pena seja diminuída. E torço ainda mais pelo Wesley. Querido Wesley, espero que você possa ser solto e que possa continuar sua vida depois desse pesadelo que está passando. Os verdadeiros pedófilos estão aqui fora, aqueles que abusam e matam crianças. E você, um menino que apenas amou outro menino, está sofrendo tamanha injustiça! Espero muito que nada lhe aconteça, nem a você e nem ao seu pequenino que deve estar passando uma barra também! Sei que não pode ler isso, mas tenho fé de que a corrente positiva de todos aqueles que, como eu, torcem por você, chegue aí no seu coração!
Tudo de bom!


Por favor, assinem o abaixo assinado a favor do arquivamento do processo contra Wesley: http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N5309 
Colaborem!!!!

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Tiago, o idealista

Tiago da Silva Ferreira, eu: um idealista romântico ou um visionário militante?

Eu adoro o auto-conhecimento. Sinto prazer em mergulhar nas entranhas da minha própria alma em busca de desvendar os mistérios de mim mesmo. Quem sou eu? O que eu sou? O que serei? Como vejo os outros e como eles me vêem? Lembro-me que no Ensino Médio fiz meu primeiro teste de personalidade. Foi na aula de psicologia. De acordo com aquele teste, existiam quatro tipos de personalidade: Fleumático, Melancólico, Colérico e Sanguíneo.
O Fleumático é aquele cara tranquilo, calmo, sem muitos altos e baixos. É introvertido, confiável, mas desconfiado. Faz poucos amigos, mas é muito leal a eles. Desmotiva-se com facilidade e se contenta com pouco.Se dá bem com a rotina e cumpre tarefas muito bem, mas pode ser conservadora e rígida. É um sujeito equilibrado e de bem com a vida.
O Melancólico é sensível e emotivo. Tende a ser introspectivo e tímido, mas é muito imaginativo e criativo, com tendências artísticas e muita empatia. Por outro lado, pode ser pessimista e ansioso. Tem dificuldade de cumprir algumas tarefas, por ser muito distraído e perder o foco.
O Colérico é líder nato, otimista, dinâmico, autônomo e trabalhador. Assume riscos e enfrenta desafios! Mas também pode ser agitado demais, arrogante, insensível e prepotente. 
O Sanguíneo é ativo, social e amável. É muito popular, disposto, cheio de energia e falante. Pode, entretanto, ser exagerado e acreditar nas próprias fantasias, tendendo a uma credulidade excessiva.

Quando realizei esse teste em 2001, aos 16, deu Colérico como resultado. Hoje eu vejo que, insconscientemente, eu manipulei o resultado. Acho que eu gostaria de me ver como alguém que poderia ser um líder, uma pessoa destemida, forte e implacável! Coisa de adolescente retardado! Anos depois, quando comecei a aprender melhor quem eu era, refiz o teste. Deu Melancólico! Eu sabia que era bem mais a minha cara!  Emotivo, coração mole, chorão... vivo no mundo da lua, preso na imaginação que eu mesmo criei. Sim, era eu, sem dúvidas! 

Agora, dez anos depois de fazer o primeiro teste, conheci um outro teste de personalidade muito mais interessante, o Teste de KeirseyO teste de temperamento de Keirsey é baseado na teoria dos temperamentos de Carl Jung e nos testes de Meyers e Briggs, que desenvolveram a teoria de Jung. Keirsey classifica 4 tipos/perfis de temperamentos (cada um subdividido, por sua vez, em 4 subtipos, totalizando 16 combinações possíveis) que conduzem a atitudes e comportamentos.

Esses 16 tipos são representados por quatro letras, cada uma referente a um tipo. As dicotomias são:
Extroversão (E)              (I) Introversão 
Sensorial (S)       X   (N) Intuição
Razão (T)                        (F) Emoção
Julgamento (J)                (P) Percepção

ATITUDES
  1. Extrovertidos (E). Obtém sua energia através da ação; gostam de realizar várias atividades; agem primeiro e depois pensam. Quando inativos, sua energia diminui. Em geral, são sociáveis.
  2. Introvertidos (I). Obtém sua energia quando estão envovidos com idéias; preferem refletir antes de agir e, novamente, refletir. Precisam de tempo para pensar e recuperar sua energia. Em geral, são pouco sociáveis.


FUNÇÕES
As dicotomias Sensorial-Intuição e Pensamento-Emoção são frequentemente chamadas de Funções  Os indivíduos tendem a preferir uma dicotomia em relação à outra.

Sensoriais e Intuitivos: descrevem como a informação é entendida e interpretada.


  1. Sensoriais (S). Confiam mais em coisas palpáveis, concretas, informações sensoriais. Gostam de detalhes e fatos. Para eles o significado está nos dados. Precisam de muitas informações.
  2. Intuitivos (N). Preferem informações abstratas e teóricas, que podem ser associadas com outras informações. Gostam de interpretar os dados com base em suas crenças. Trabalham bem com informações incompletas e imperfeitas.

Racionalistas e Emocionais: descrevem como as decisões são realizadas.


  1. Emocionais (F). Decidem com base nas suas emoções e sentimentos.
  2. Racionalistas (T). Decidem de uma forma fria, tentam ser lógicos e consistentes. São sistemáticos.

ATITUDES ESTILO DE VIDA

As pessoas podem ter uma preferência pela função de julgamento (J) ou pela função de percepção (P). A isto chamaram o embaixador para o mundo externo. Grosseiramente um Julgador tentará controlar o mundo, enquanto um Perceptivo tentará se adaptar a ele (são aventureiros).
  1. Julgadores (J). Gostam da rotina. Odeiam surpresas.
  2. Perceptivos (P). Gostam de se arriscar e de mudanças.

RESULTADOS


Com base nos quatro pares de funções psicológicas, Keirsey e Bates (1984) estabelecem quatro perfis gerais de temperamento: SP (realista perceptivo)SJ (realista judicativo)NT (intuitivo racional) e NF (intuitivo sensível). Cada tipo apresenta características pessoais diferenciadas, como resultado da combinação das diversas variáveis pessoais.
Outra forma de nomear esses perfis é: Idealista (NF), Racional (NT), Guardião (SJ) e Artesão (SP). As 16 combinações possíveis para esse teste são as seguintes: INTP · INTJ · INFJ · INFP · ISTP · ISTJ · ISFJ · ISFP · ESTP · ESTJ · ESFJ · ESFP · ENTP · ENTJ · ENFJ · ENFP. 


1. Artesãos são observadores e pragmáticos. Buscando estimulação e virtuosismo, eles estão preocupados em causar impacto. Sua maior força é a tática . São bons na solução de problemas, na agilidade, e na manipulação de ferramentas, instrumentos e equipamentos. Os dois papéis são os seguintes:

    • Operadores: Sua inteligência operacional mais desenvolvida é acelerar. O atencioso Artífice (ISTP) e o expressivo Promotor (ESTP) são as duas variantes do papel.
    • Animadores: Sua inteligência operacional mais desenvolvida é improvisar . O atencioso Compositores (ISFP) e expressivo Performista (ESFP) são as duas variantes do papel.
2. Guardiões são atentos e cooperativos. Busca de segurança e de pertença, eles estão preocupados com a responsabilidade e dever. Sua maior força é a logística . Destacam-se por organizar, facilitar, verificação e apoio. 
  • Administradores: Sua inteligência operacional é mais desenvolvida em  regular . O atencioso Inspector (ISTJ) eo expressivo Supervisor (ESTJ) são as duas variantes do papel.
  • Os conservadores: Sua inteligência operacional é mais desenvolvida em  dar apoio . O atencioso Protetor (ISFJ) e o expressivo Provedor (ESFJ) são as duas variantes do papel.

3. Idealistas são introspectivos e cooperativos. Buscando significado e importância, eles estão preocupados com o crescimento pessoal e encontrar sua própria identidade única. Sua maior força é a diplomacia . Destacam-se por esclarecer, individualizar, unificar e inspirar. 

  • Mentores: Sua inteligência operacional está em desenvolvimento . O atencioso Conselheiro (INFJ) e o expressivo Professor (ENFJ) são as duas variantes do papel.
  • Os defensores: Sua inteligência operacional mais desenvolvida é a mediação. O atencioso Curandeiro (INFP) e o expressivo Campeão (ENFP) são as duas variantes do papel.

4. Racionais são introspectivos e pragmáticos. Buscando maestria e auto-controle, eles estão preocupados com seus próprios conhecimentos e competências. Sua maior força é a estratégia . Eles se destacam em qualquer tipo de investigação lógica, como a engenharia, conceituar, teorização e de coordenação. 

  • Coordenadores: Sua inteligência operacional é mais desenvolvida em arranjar . O atencioso Cérebro-Mestre (INTJ) e o expressivo Marechal (ENTJ) são as duas variantes do papel.
  • Engenheiros: Sua inteligência operacional mais desenvolvida é na  construção . O atencioso Arquiteto (INTP) e o expressivo Inventor (ENTP) são as duas variantes do papel.
Embora as descrições dos temperamentos individuais e papéis variantes tenham sido escritas como um todo, o temperamento em si pode ser entendido comparando-o com os anéis de uma árvore: 
  • O anel interno: abstrato versus concreto
Segundo Keirsey, todos podem exercer tanto a observação e a introspecção. Quando as pessoas tocam em objetos, assistem a um jogo, sentem o sabor dos alimentos, ou percebem o mundo através de seus cinco sentidos, são observadores. Quando as pessoas refletem e se concentram em seu mundo interno, são introspectivos. No entanto, os indivíduos não podem se envolver em observação e introspecção, ao mesmo tempo. Se as pessoas são mais atentas ou introspectivas ao longo do tempo, isso afeta diretamente o seu comportamento.
Pessoas que são geralmente atentas são mais "pé no chão". Eles são mais concretos na sua visão de mundo e tendem a se concentrar em assuntos práticos, tais como alimentos, abrigo, e suas relações imediatas. Carl Jung usou a palavra sensação ao descrever as pessoas que preferem percepção concreta. Pessoas que são geralmente introspectivas são mais "cabeça nas nuvens". Eles são mais abstratos, em sua visão de mundo e tendem a se focarem em coisas ou teorias de questões globais como a igualdade social ou a engenharia. Carl Jung usou a palavra intuição ao descrever as pessoas que preferem a percepção abstrata.
  • O segundo anel: cooperativos versus pragmáticos (utilitário)
Keirsey usa as palavras de cooperação (de acordo) e pragmática (adaptável), quando comparados os temperamentos diferentes. As pessoas que são cooperativas prestam mais atenção às pessoas com outras opiniões e estão mais preocupados em fazer a coisa certa. Pessoas que são pragmáticos (utilitário) prestam mais atenção aos seus próprios pensamentos ou sentimentos e estão mais preocupados em fazer o que dá certo. Não há nenhuma idéia comparável de Myers e Jung que corresponde a esta dicotomia, por isso esta é uma diferença significativa entre o trabalho de Keirsey e de Myers e Jung.
Os temperamentos são pragmáticos: Racionais (pragmática e abstrata) e Artesãos (pragmática e concreta). Os temperamentos cooperativos são: Idealistas (cooperativo e abstrato), e Guardiões (cooperativo e concreto). 
  • O terceiro anel: dirigido (proativo) versus informativo (reativo)
O terceiro anel distingue entre pessoas que geralmente se comunicam para informar os outros e pessoas que geralmente se comunicam para direcionar os outros. Cada um dos quatro temperamentos é subdividida por esta distinção para um resultado de oito papéis.
Os papéis dirigidos são: Operadores (Artesãos dirigidos), Administradores (Guardiões dirigidos), Mentor (idealistas dirigidos) e coordenadores (Racionais dirigidos). Os papéis informativos são:  Animadores (Artesãos informativos), Restauradores (Guardiões informativo), Defensores (idealistas informativo) e Engenheiros (Racionais informativo).
  • O quarto anel: expressivo versus atento
O quarto anel descreve como as pessoas interagem com o ambiente. Os indivíduos que tendem a agir antes de observar são descritos como expressivos. As pessoas que tendem a observar antes de agir são descritas como atenciosas .
SOMANDO ESSAS INFORMAÇÕES TEMOS ESSE QUADRO:

TemperamentoPapelPapel Variante
Abstrato
ou
Concreto?
Cooperativo
ou
Utilitário?
Dirige
ou
Informa?
Expressivo
ou
Atento?
Introspectivo
(N)
Idealistas (NF)
Diplomático
Mentor (NFJ)
Desenvolvimento
Professor ( ENFJ )Educar
Conselheiro ( INFJ )Orientar
Defensor (NFP)
Mediação
Campeão ( ENFP )Motivar
Curandeiro ( INFP )Conciliar
Racional (NT)
Estratégico
(Coordenador NTJ)
Arranjamento
Marechal ( ENTJ )Mobilizar
Cérebro-Mestre ( INTJ )Implicar
Engenheiro (NTP)
Construção
Inventor ( ENTP )Criar
Arquiteto ( INTP )Projetar
Observador
(S)
Guardião (SJ)
Logístico
Administrador (STJ)
Regulagem
Supervisor ( ESTJ )Fazer cumprir
Inspetor ( ISTJ )certificação
Restauradores (SFJ)
Apoio
Provedor ( ESFJ )abastercer
Protetor ( ISFJ )Proteger
Artesão (SP)
Tático
Operador (STP)
Agilizamento
Promotor ( ESTP )Convencer
Artífice ( ISTP )Instrumentação
Animador (SFP)
Improvisação
Performista ( ESFP )Demonstrar
Compositor ( ISFP )Sintetizar

De acordo com Keirsey
O teste pode ser encontrado aqui: http://brainsandcareers.com/ptest.html
E o meu resultado é esse aqui:


Não foi nenhuma surpresa fazer parte do grupo dos NFs ou Idealistas, pois nada poderia me definir mais do que essa palavra. A dúvida que eu tinha era se eu seria um INFP (o sonhador, idealista romântico que quer ajudar as pessoas que ama e, no meu caso, nem sempre sabe como) ou se seria um ENFP (visionário, militante de causas que considero justas e éticas). Nesse teste em particular, o visionário levou a melhor, mas em outros casos deu o sonhador romântico. O interessante é que a única variante entre eles é que o INFP é mais introvertido e o ENFP é mais extrovertido e sociável. Como sou difícil de definir nesse quesito, acho que caibo nos dois arquétipos. Quando me sinto extrovertido, sou militante, brigo, combato em defesa do que (ou de quem) acredito! Quando estou introspectivo, sou o sonhador romântico que quer mudar o mundo, mas nem sabe, primeiro, como melhorar o bairro que moro, apesar de não desistir da tarefa. Agora entendo por que cultuo tanto personagens e líderes históricos como Gandhi, Marthin Luther King, Dalai Lama, Thich Nhat Hanh, Harvey Milk, entre outros. Eu quero ser um Defensor da humanidade. Mas eu não sei ainda como. Preciso descobrir.